DPS em sistemas fotovoltaicos

Na hora de instalar o sistema fotovoltaico alguns fatores importantes devem ser levados em consideração, mas que nem sempre recebem a devida atenção. Entre eles, está garantir a proteção dos módulos fotovoltaicos e dos aparelhos eletroeletrônicos de eventuais riscos ligados à eletricidade.
Neste post vamos falar sobre o DPS (Dispositivo de Proteção contra Surtos), um equipamento fundamental na proteção dos componentes do sistema fotovoltaico.

O QUE É DPS?

DPS é um termo pouco conhecido entre o grande público, a maioria não o conhece ou não sabe o que significa, mas ele é mais importante do que você imagina.
A função do DPS é atuar entre o equipamento e a entrada de energia para impedir surtos elétricos atinjam e danifiquem seu aparelho. Esses surtos podem ser provocados por manobras no sistema de potência (rede da concessionária), liga desliga de máquinas e motores elétricos, ou por descargas atmosféricas diretas ou indiretas na instalação.

Quando ocorre um surto em um sistema, o DPS tem a função de desviar esse surto para a terra deixando passar apenas uma tensão que os equipamentos são capazes de suportar sem danificar sua isolação. Ele fecha um curto circuito entre fase e terra desviando a corrente para o sistema de aterramento.

Uma proteção elétrica completa exige a coordenação de atuação das três classes de DPS. O classe I deve ser conectado na entrada de energia do edifício. O DPS classe II é alocado para cada quadro de distribuição secundário e o classe III deve ser conectado em cada equipamento sensível que necessite de proteção.

QUAL O PAPEL DO DPS NO SISTEMA FOTOVOLTAICO?

No sistema fotovoltaico, para a proteção completa dos equipamentos, deve ter pelo menos um DPS entre o arranjo fotovoltaico e o inversor, e pelo menos um DPS entre o inversor e a rede elétrica. Dessa forma, o DPS protege o inversor tanto de descargas no arranjo fotovoltaico como sobretensões advindas da rede externa à instalação.

O DPS que protege o inversor tanto do lado CA como do lado CC não pode ultrapassar uma distância de 10 metros do inversor, pois uma descarga atmosférica poderá surgir corrente induzida no circuito entre a proteção e o equipamento. Vale lembrar também que a norma proíbe que se instalem circuitos CA e CC no mesmo quadro. O correto é ter um quadro somente pra CA e outro somente para CC.

Em sistemas fotovoltaicos é usual a instalação de DPS de corrente contínua nas chamadas string box. Esses DPS irão proteger os módulos e também a entrada em corrente contínua do inversor. Mas em caso de corrente alternada, os DPS são instalados em quadros de distribuição em que o sistema é conectado, ou também em quadros de proteção CA próprios dos inversores.

Ficou interessado, mas não sabe onde encontrar DPS?

Conheça o nosso DPS CLAMPER Solar e o CLAMPER Solar SB (String Box), soluções especializadas da CLAMPER para a proteção dos componentes do sistema fotovoltaico e dos equipamentos conectados à rede.